quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Salada com Vinagrete de Mostada com Estragão

Além da salada de cuscuz com porco que a minha mãe fez, tivemos ainda no dia 25 essa maravilhosa salada que minha tia, também amiga da lagarta, fez. Gostamos tanto que minha mãe pediu a receita para ela e assim, postarmos no blog.

Salada com Vinagrete de Mostarda e Estragão

-folhas diversas
-nozes picadas a gosto
-uvas rubi cortadas ao meio e sem os caroços, a gosto

Molho:
-2 colheres de sobremesa de Mostarda de Dijon com estragão
-1 colher de sobremesa de vinagre balsâmico
-1 colher de sobremesa de vinagre de arroz
-1 colher de sobremesa (cheia) de mel
-4 colheres de sopa de azeite
-3 colheres de sopa de água
-sal (bem pouco) e pimenta a gosto

Misture todos os ingredientes do molho com batedor manual.
Arrume as folhas sobre uma travessa e coloque por cima as nozes e as uvas. Regue com o molho e sirva em seguida.
Bom Apetite a todos!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Biscoito de Queijo Parmesão

Esse biscoitinho é uma variação de uma receita que minha mãe faz há anos. Ao invés de fazer um bicoito doce, ela colocou o queijo para servi-lo com salada. Ficou muito gostoso.






Biscoito de Queijo Parmesão

-300g de farinha de trigo
-200g de manteiga sem sal na temperatura ambiente
-100g de queijo parmesão ralado

Misture todos os ingredientes, sem trabalhar muito a massa. Leve à geladeira pelo menos por 1 hora.
Divida a massa em 4. Abra a massa entre 2 plásticos e use o cortador de estrelinha. Coloque sobre um tabuleiro forrado com papel manteiga e leve ao forno pré aquecido por, mais ou menos, 15 minutos. Acompanhe o cozimento para que não torrem muito. Retire do forno e deixe esfriar sobre uma grelha. Guarde imediatamente assim que estiverem frios.
Pode-se fazer bolinhas e depois achatá-las com um garfo, caso não tenha cortadores de biscoito. Fica muito bom também.


Os biscoitinhos acompanham bem uma salada de folhas bem frescas, temperadas com azeite, sal e pimenta.

Bom Apetite!

Salada de Bacalhau

Não satisfeita em ter 2 candidatos para a salada do Natal, minha mãe quis fazer essa também para ter mais uma opção e "facilitar" a nossa escolha. Brincadeiras à parte, gostei bastante dessa, mas para mim é daquelas saladas que se pode comer com folhas ou quente como prato principal, que foi justamente o que eu fiz ontem quando a comi.
Minha mãe preferiu essa, mas eu e meu pai votamos pela salada com porco.

Salada de Bacalhau




-700g de lombo de bacalhau desalgado e congelado
-400g de tomate cereja
-suco de 2 laranjas
-1/4 de copo de Cointreau
-1 kg de batata
-1/2 cebola fatiada em 1/2 luas
-12 azeitonas pretas
-12 azeitonas verdes
-1/3 dente de alho esmagado
-1/2 xic. de azeite
-1 colher de sopa de vinagre de vinho tinto
-pimenta a gosto
-2 colheres de sopa de salsinha picada
-folhas variadas

Descongele o bacalhau de véspera na geladeira. Encha pela metade uma panela grande com água e leve ao fogo até ferver. Coloque as postas de bacalhau e deixe cozinhando por 10 min. até que a pele e as espinhas saiam facilmente. Reserve fora da água. Quando esfriar, retire as espinhas e a pele e desfie o bacalhau em lascas não muito grandes.

Descasques as batatas e pique em pedaços grandes. Leve para cozinhar em água fervente com sal e 1 colher de vinagre até que fiquem macias, mas ainda firmes. Escorra e deixe esfriar.

Asse os tomates em uma tigela refratária com o suco de laranja e com o Cointreau por 20 minutos. Retire do forno e deixe esfriar no próprio suco.
Doure levemente a cebola com azeite e reserve.

Para fazer o molho, misture o azeite, o alho, o vinagre e as azeitonas bem picadinhas e a pimenta a gosto.

Em uma tigela grande, misture as batatas, o bacalhau e a cebola cuidadosamente, regando aos poucos com o molho (a quantidade fica a critério de cada um). Por último acrescente os tomates e a salsinha.

Sirva acompanhada de folhas verdes. Pode ser servida gelada ou na temperatura ambiente.

Bom Natal a todos!

sábado, 18 de dezembro de 2010

Lagarta Ho Ho Ho


Como eu já havia dito, parei de escrever no blog por causa da falta de tempo por estar fazendo vestibular. Agora que as provas passaram e eu estou de férias posso, finalmente voltar a fazer o blog.

Essa semana fizemos 2 receitas festivas que podem ser usadas como inspiração para a salada do Natal. Minha mãe mesmo vai fazer uma delas no dia 25.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Salada de Cuscuz Marroquino com Ervas, Frutas Secas e Filé Mignon de Porco

Adoro porco, amo cuscuz, juntar ambos em uma salada só podia resultar em uma das minhas preferidas. Gostei muito e estou torcendo para que seja a escolhida do Natal. Ainda bem que tenho um voto na decisão da receita para o dia 25.

Salada de Cuscuz Marroquino com Ervas, Frutas Secas e Filé Mignon de Porco



- 500g de cuscuz marroquino
- 2 col. de sopa de manjericão fresco picado
- 1 col. de chá de alecrim fresco picado
- 2 col. de sopa de hortelã fresca picada
- 2 col. de sopa de salsa picada
- 6 col. de sopa de azeite
- 1/2 xic. de damasco seco picado
- 1/3 xic. de figo seco picado
- 1/3 xic. de ameixa seca picada
- 1/4 xic. de castanha-do-pará fatiada
- 500g de filé mignon de porco em lascas
- suco de 2 limões
- sal a gosto
- alface para acompanhar

Tempere o porco com sal, pimenta e 1 dente de alho e deixe pegar gosto por 30 min. Em uma panela grande, esquente um pouco de óleo e sele o filé. Vire a medida em que for ficando dourado. Acrescente 1/2 cebola picadinha e mexa um pouco. Acrescente gradualmente água para que a carne cozinhe. O cozimento dura aproximadamente 40 min, em aproximadamente 20 deles use a tampa. No final deixe quase todo o líquido evaporar. Reserve o filé.
Dilua o caldo que restou na panela com 1/2 litro de água. Deixe ferver, apague o fogo e acrescente o cuscuz. Tampe a panela e aguarde 2 min. Acenda o fogo novamente e cozinhe o cuscuz, mexendo sempre, por 2-3 min.
Em uma tigela misture ao cuscuz ainda quente as ervas, as frutas secas, o suco de limão e 2 col. de azeite.
Depois de amornar, adicione o restante do azeite e verifique o tempero. Transfira o cuscuz para um prato, junte o porco e as folhas de alface. Decore com tomilho.

Salada de Grãos Integrais com Amêndoa e Tâmara

Aqui em casa como não gostamos muito de tâmara, não estávamos muito animados com a salada, mas gostamos de provar antes de julgar, por isso, todos comemos e ADORAMOS! Valeu a pena superar meu preconceito, pois a salada é deliciosa. Mas confesso que gostei mais da variação com passas que minha mãe fez hoje no almoço. Ai, fica a critério de cada um. Não chegamos a fazer, mas consideramos usar ameixa no lugar da tâmara também. Outro dia fizemos com limão siciliano ao invés da laranja, mas achamos muito ácida, mas também, quem preferir pode experimentar.


Salada de Grãos Integrais com Amêndoa e Tâmara



- 1 1/2 xic. de Ráris (mistura de 7 grãos integrais)
- 8 - 10 tâmaras picadas (pode ser substituida por 1/2 xic. de passas brancas)
- 1/2 xic. de amêndoas picadas em palitos e torradas
- 1/4 xic. de cebola picadinha
- 1 col. de chá de gengibre ralado
- 1/2 xic. de suco de laranja
- 4 col. de sopa de azeite
- 2 col. de sopa de salsinha picada
- 6 folhas de hortelã picada
- sal a gosto
Cozinhe o Ráris em 3 1/2 xic. de água e sal por 30 min. ou até ficar al dente. Deixe esfriar.

As amêndoas devem ser cozidas por 2 min em água fervente e imediatamente a casca retirada. Corte em filetes e depois leve ao forno para dourar.

Faça o molho misturando o azeite, suco de laranja, gengibre e cebola. Despeje o molho no Ráris e depois acrescente o restante dos ingredientes, misturando.


Sirva gelado.

domingo, 21 de novembro de 2010

Salada Lótus de Macarrão de Arroz e Lula

Tentamos descobrir porque esta salada se chamava Salada Lótus. A conclusão que chegamos foi que Lótus, que é uma planta cujas flores e raizes são comestíveis, faz uma alusão ao Oriente, pois ela é mais que uma planta para os orientais, é um simbolo sagrado. O nome, portanto, poderia ser simplesmente Salada Oriental, já que a receita não leva nada da planta.

Esta é uma receita fácil (embora não pareça) e saborosa:
-200g de macarrão de arroz já cozido
-60g de repolho roxo finamente cortado (1/4 de 1 repolho pequeno)
-40g de agrião, descarte os caules grossos, use os raminhos
-1 colher de sopa de gergelim preto
-1 colher de sopa de gergelim branco
-2 colheres de sopa de castanha de caju torrada e picada
-3 colheres de sopa de azeite
-suco de meio limão
-2 colheres de chá de gengibre ralado bem fininho, quase uma papa
-1/2 pimenta dedo de moça picadinha e sem sementes
-200g de lula cortada em rodelas(peça para o peixeiro para fazer, mas não é difícil fazer em casa) -2 colheres de sopa de açucar mascavo
-2 colheres de sopa de molho shoyo
OBS. as quantidades são para orientar, mas na verdade não pesamos os ingredientes, pegamos um punhado de macarrão e um punhado de agrião. Não precisa ser nada tão rígido.

Misture o gergelim branco com o preto e leve para torrar em uma frigideira em fogo baixo. Isso não demora muito e ele vai começar a pular igual pipoca. Retire da frigideira e reserve.
Ferva um litro dágua. Desligue e mergulhe o macarrão por 1 minuto para amolecer. Em seguida escorra e reserve.

Tempere a lula com o açúcar mascavo e o shoyo. Leve ao fogo baixo numa frigideira e deixe cozinhar por 3 minutos. Não deixe evaporar todo o líquido , pois este será o molho da salada. Deixe esfriar e acrescente todos os ingredientes: o suco de limão, o azeite, o gengibre, a pimenta, o gergelim, o repolho, o agrião, a castanha de caju e por último o macarrão. Verifique o sal e sirva em seguida.


Salada Lótus Vegetariana


A receita é igual a anterior, substituindo somente a lula por cogumelo Shitake.
Corte 200g de shitake em fatias grossas e frite em uma figideira com azeite e fogo alto. Quando estiverem dourados, acrescente um pouco de alho picadinho e sal. Doure mais um pouco(1 minuto) e acrescente a mistura de açúcar mascavo com shoyo. Deixe evaporar por 2 minutos no máximo e siga o restante da receita.
Na receita da foto, não colocamos macarrão, porque teríamos massa e achamos que seria demais repetir os ingredientes. Não fez diferença alguma. Ficou ótima também.
Bom Apetite!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Saladas da Ponte

Há um mês atrás, voltando de São Paulo pela ponte aérea, tivemos a grata surpresa quando soubemos que o lanche que seria servido era uma salada. Parabéns pela iniciativa! Os amigos da Lagarta agradecem.





A salada servida era simples e saborosa:

-folhas verdes
-batata cozida em cubinhos
-lombinho canadense cortado em cubinhos
-queijo parmesão (o mais fresco possível) em lascas
-tomatinho cereja (poucas unidades)
-salsinha picada a gosto

Misture cuidadosamente a batata, a salsinha, o tomatinho cereja e o lombinho canadense acrescentando um pouco de azeite.
Coloque as folhas em uma tigela, depois a salada de batata e por último as lascas de parmesão.


Voltando de São Paulo duas semanas depois, a salada servida foi com frango e, como gostamos bastante, acabamos experimentando em casa:

-folhas diversas
-cenoura ralada
-frango cozido desfiado (bem fininho)
-queijo parmesão (o mais fresco possível) em lascas
-azeitonas preta e verde
-queijo bolinha (mozarella fresca)



Coloque em uma tigela as folhas frescas, a cenoura, o frango e as lascas de parmesão. Decore com o queijo bolinha e as azeitonas. Por cima do queijo, aromatize com um creme feito com maionese light batido com um pouco de água e mostarda (verifique o sal). Finalize com um pouco de orégano sobre o creme.

Infelizmente, ao voltar de São Paulo no último sábado, recebemos somente amendoim e biscoitinhos. Que pena que a iniciativa valeu só para durante semana...

Salada de cenoura com passas

-4 cenouras médias raladas
-1/2 xic. de passas

Molho:
-3 colheres de sopa de maionese light
-3 colheres de sopa de creme de leite (não precisa ser o fresco)
-3 colheres de sopa de água (se usar creme de leite fresco, pode ser que não necessite acrescentar água ao molho)
-1 1/2 colheres de mostarda (não é a de Dijon)
-1 pitada de curry
-sal e pimenta a gosto

Bata todos os ingredientes do molho com batedor manual. Acrescente a cenoura e as passas com cuidado para que a salada fique o mais "leve" possível. Deixe na geladeira por, pelo menos, meia hora.
Acompanhe esta salada com folhas verdes variadas. Bom Apetite!

domingo, 17 de outubro de 2010

Desculpe a demora das postagens últimamente, mas eu estou em ano de vestibular e não tenho tido muito tempo para escrever no blog. Para que ele não ficasse abandonado, minha mãe assumiu as postagens e por isso elas não têm sido comentadas, já que essa é minha função.


Espero em breve estar de volta comentando toda semana como antes, falando como eu AMO aquela salada ou reclamando de como a minha mãe só faz receita com ingredientes dos quais eu não sou exatamente fã...

sábado, 16 de outubro de 2010

Batatinha quando nasce...

Todo ano, a Escola Alemã dá uma semana de recesso em outubro, pois segue a tradição alemã de antigamente as crianças pararem um semana nessa época para ajudar seus pais na colheita de batata. Em homenagem a Semana da Batata (como é chamado o recesso), que foi essa semana, escolhemos a batata como tema.


Todo mundo acha que batata é coisa de alemão (bom, não se pode culpar, quando há uma semana de férias por causa da batata), mas na verdade, esse tubérculo é originário do Peru e foi levado para a Europa em 1570 pelos espanhóis.

Há diversas versões da tradicional salada de batata. Postamos duas bem diferentes.

Salada de Batata da Sylvia

Para mim, a versão feita pela minha avó seria a verdadeira salada de batata brasileira, aquela que vai bem com tudo: churrasco, frango de padaria, frango grelhado...

-1 kg de batata

Molho:
-250 g de maionese light
-1 colher de chá de mostarda
-1 colher de chá de mel
-1/4 de cebola bem picadinha
-1 pitada de sal

Descasque as batatas e corte em pedaços irregulares colocando-os em uma panela com água, sal e 1 colher de sopa de vinagre. Levar ao fogo até ficar macia, sem cozinhar demais. Escorra e coloque em um tabuleiro para que esfrie mais rápido.
Misture a maionese com 1/4 de xícara de água. Acrescente o sal, a mostarda e o mel. Verifique o tempero e acrescente a cebola. Envolva as batatas com o molho e leve à geladeira por pelo menos 1 hora, antes de servir.



Salada de Batata do Hans

Já a versão do meu avô, eu considero totalmente alemã. Aquela que você espera para comer com salsicha ou Kassler (carré de porco defumado). A festa mais esperada do ano é o aniversário dele, pois é quando ele faz sua salada de batata para comer acompanhada de salsicha e chucrute.


-2kg de batatas
-1 maçã ácida média picadinha(sem casca)
-1/2 maçã tipo gala picadinha (sem casca)
-2 pepinos em conserva picadinhos

Molho:
-5 colheres de sopa de maionese (não é light)
-5 colheres de sopa de creme de leite (não precisa ser o fresco)
-1 colher de chá de mostarda
-1/2 cebola picadinha e escaldada com água quente
-salsinha picadinha ( 1 colher de sopa cheia)
-pimenta do reino a gosto


Cozinhe as batatas na véspera em água e sal(1 colher de sopa). Quando estiverem cozidas(cerca de 1/2hora), mas ainda firmes, retire do fogo , escorra e deixe amornar.
Tire as cascas e deixe na geladeira até o dia seguinte. Corte-as em lascas grandes e deixe na geladeira até acrescentar o molho.
Misture a maionese com o creme de leite e a mostarda. Acrescente a pimenta, a cebola e a salsinha. Se o molho estiver muito espesso, acrescente um pouco de água.
Retire a batata da geladeira. Acrescente o pepino, as maçãs e o molho. Misture cuidadosamente. Verifique o sal e leve à geladeira por pelo menos 1 hora antes de servir.
Bom Apetite!

domingo, 3 de outubro de 2010

Maionese

A maionese foi inventada pelo cozinheiro do Duque de Richelieu em 1756. Após derrotar os ingleses em uma batalha na cidade portuária de Mahon, capital da ilha de Minorca (Espanha), o cozinheiro preparou um banquete em comemoração da vitória. Quando o chefe percebeu que não havia mais leite, resolveu usar azeite misturado com ovos, o que resultou em um novo molho: o Mahonneise.

A maionese foi inventada por um francês na Espanha e dizem, que foi levada para a America por um alemão. Eta molhinho globalizado ...
Sempre fomos adeptas da maionese light industrializada, até ler o rótulo dela. São tantos nomes que resolvemos fazer a nossa própria maionese. É muito fácil de fazer e seguem as 2 receitas testadas:



Receita 1:

-1 ovo
-1 colher rasa de chá de mostarda
-1/2 colher de chá de sal
-1 colher de sopa de vinagre
-1 colher de sopa de água
-1 xic. de óleo de milho



Receita 2:

-2 gemas
-1 colher de sopa de água
-1/2 colher de chá de sal
-1 colher de chá de vinagre
-1 colher de chá de mostarda
-1 xicara de chá de óleo (não muito cheia)



As duas receitas são feitas da mesma maneira:

Coloque numa leiteira (panelinha alta) o vinagre, a água, o sal, a mostarda e o ovo (ou as gemas). Misture um pouco com um mixer ( pode usar o liquidificador) e depois vá acrescentando o óleo lentamente em fio até terminar/ou chegar no ponto de maionese. Se estiver muito rala, acrescente mais um pouco de óleo. Cuidado para não talhar.

A maionese caseira não se conserva por muito tempo, mesmo na geladeira. Melhor consumir no máximo em 3 dias.

Por curiosidade, resolvemos lançar as receitas na nossa tabela de calorias e chegamos a seguinte conclusão:

-maionese com ovo: 12g=76 kcal.
-maionese com gemas: 12g=85kcal.
-maionese industrializada light: 12=30 kcal.

Depois dessa descoberta, como não usamos muita maionese, resolvemos não olhar mais o rótulo com tanta seriedade...
Seguem 2 receitas com maionese que são uma delícia.

OBS.: uma de nossas amigas me perguntou após ler o blog: Ovos crus? E a salmonella?
Fiquei anos sem ter coragem de fazer maionese como meu pai fazia quando eu era criança, por causa do fantasma da salmonella. Para quem não sabe, salmonella é uma bactéria que é transmitida ao homem através da ingestão de alimentos contaminados, como carne, galinha, ovos e leite. O cozimento dos alimentos mata a salmonella. A maioria das pessoas infectadas apresenta diarreia, dor abdominal e febre. A doença dura de 4 a 7 dias e a maioria se recupera sem tratamento.

Os ovos de boa procedência são cuidadosamente lavados nas granjas com um detergente especial e, logo após, envolvidos por óleo mineral para proteção da casa. É importante que eles fiquem no ponto de venda em ambiente refrigerado e que sejam logo armazenados em casa na geladeira. Sabendo tudo isso, resolvi não pensar mais na tal bactéria e acabei fazendo as maioneses, mas em caso de dúvida, não consuma ovos crus. É mais seguro.

Li em um livro que os ovos podem ser substituídos por ricota fresca. Irei fazer e depois passarei a experiência para o blog.

Salada de Camarão com Ovo de Codorna


-300g de camarões médios já descascados previamente temperados com sal, pimenta e um pouco de alho;
-20 ovos de codorna;
-1 alho poró grande fatiado em meias luas.

Molho:
-100g de creme de leite (não precisa ser o fresco)
-1 colher de sopa cheia de maionese light
-1 colher de sobremesa rasa de conhaque (opcional)
-1 colher de chá de molho inglês
-1 1/2 colher de sopa de Ketchup
-sal e pimenta a gosto

Cozinhe os ovos em água por 5 minutos após levantar a fervura. Não coloque os ovos na água fria, somente após a fervura. Escorra e deixe em uma tigela de água fria até esfriarem. Descasque-os e reserve.
Frite os camarões em uma frigideira bem quente com um pouco de azeite. Em torno de 5 min. de cada lado. Deixe esfriar.
Refoque rapidamente o alho poró em um frigideira quente. Cuidado para não cozinhar demais. Salgue e reserve.
Misture os ingredientes do molho com batedor manual. Verifique o sal e, se o molho estiver muito espesso, coloque um pouco de água. Reserve.
Acrescente com cuidado os camarões, o alho poró e os ovos de codorna. Deixe 1 hora na geladeira antes de servir.
Essa salada lembra o bom tempo do coquetel de camarão. Bom Apetite!

Salpicão com Batata Palha



-3 cenouras médias raladas (200g)
-250g de frango cozido e desfiado
-100g de ervilha congelada
-100g de milho cozido
-100g de passas
-100g de batata palha


Molho:

-80g de maionese (3 colheres de sopa cheia)
-2 colheres de sopa de Ketchup
-1 colher de sobremesa de azeite
-1 colher de chá de mostarda
-sal e pimenta a gosto
Cozinhe as ervilhas conforme indicado na embalagem. Escorra e deixe esfriar (ou dê um choque térmico com água gelada.
Em uma tigela grande misture todos os ingredientes do molho. Acrescente o frango, a ervilha, o milho, as passas e a cenoura. Misture e verifique o sal.
Deixe , pelo menos, 1 hora na geladeira. Coloque a batata palha sobre a salada somente na hora de servir.
Bom Apetite!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Ceviche de Peixe















Ceviche, cebiche ou Seviche é um prato de origem peruana baseado em peixe cru marinado em suco de limão ou outro cítrico.

O prato é basicamente uma marinada de peixe fresco, curtido no limão, sal, cebola roxa, alho, pimenta (aqui no Brasil a Dedo de Moça) e coentro. O peixe deve ser fresco, de carne branca e firme, não muito gorduroso, como o robalo e o linguado.

Foi provavelmente uma invenção dos incas e sua autoria é até hoje disputada entre o Peru e Equador.

A diferença básica entre as duas receitas é que no Peru o peixe é cozido no suco de limão e no Equador, no fogo, rapidamente, em uma água temperada, ficando menos ácido. O limão que mais se aproxima do usado no Peru é o limão galego, que é menos ácido que o Taiti. Fizemos duas receitas, uma com cada tipo de limão e a com limão galego ficou mais saborosa. Se não encontrar o limão galego, use o Taiti mesmo, mas não o esprema muito e adicione um pouco de açúcar.
É servido com batata doce e milho cozido, provavelmente para cortar a acidez do limão. Não chegamos a experimentar, mas faremos em breve.

Ceviche de Peixe:
-400g de robalo ou linguado (do grande)
-6 limões mal espremidos ( de preferência limão galego)
-1 cebola roxa pequena finamente fatiada
-1/2 dente de alho bem esmagado
-folhas de coentro ou de salsinha bem picadinhas (ou ambas)
-1 pimenta Dedo de Moça picadinha
-sal a gosto
-azeite a gosto
Corte o peixe em cubos e acrescente todos os ingredientes. Leve à geladeira , no mínimo, por 1/2 hora. Gostamos de comer assim com pouco tempo do preparo, pois o peixe não fica tão cozido. No dia seguinte não ficou tão bom, mas na hora, com uma taça de espumante bem gelado, ficou uma delícia.

Ceviche de Lula


-800 g de lulas frescas (repare se elas estão moles e não rígidas)
-1/2 cebola roxa finamente fatiada
-1/2 pimenta Dedo de Moça picadinha
-1 colher de sopa de suco de limão (de preferência de limão galego)
-coentro picadinho a gosto ou salsinha
-azeite a gosto
-sal a gosto
A quantidade dos ingredientes podem variar conforme o gosto de cada um. Nós nunca usamos nem muita cebola nem muito limão e cada um pode dar o toque pessoal na receita.
Depois de limpas e cortadas em aneis, jogar na água temperada* e deixar ferver por 3minutos. Retirar e esfriar (colocando numa tigela com água gelada e depois deixando escorrer numa peneira) para estancar o cozimento para que não fique borrachuda. Não descarte a parte dos tentáculos, acrescente também , pois são muito saborosos.
*Água temperada: Ferver por 15 minutos 1 l de água com sal, 1 folha de louro, 1 cebola fatiada , 1 dente de alho e 1/2 pimentão verde. Coe e reserve o líquido.
Misture as lulas com todos os ingredientes do ceviche e leve à geladeira pelos menos por 1/2hora para apurar.


Outra opção de salada é o que nós apelidamos de Pretinho nada básico: junte o ceviche de lula a 1 xic. de arroz selvagem previamente cozido conforme orientado na embalagem. Verifique o sal e acrescente azeite a gosto. Fica uma delícia.

Ceviche de Polvo




Cozinhe primeiro o polvo e para isso você vai precisar:
-1 polvo fresco
-1 cebola
-1 cenoura
-folhas de aipo (opcional)
-1 folha de loura pequena (opcional)
-um pouco de sal




Nunca tínhamos feito polvo em casa. Só de olhar dava nervoso, mas a gente foi se acostumando com ele e até que foi bem fácil.


Compramos um polvo grande. Ele tinha quase 1,8 kg e foi indicação do peixeiro que veio trazer em casa (tem gente que diz que ele não deve passar de 1/2kg). Ele já veio limpo e o pior já tinha sido feito, só tivemos que lavar bem todos os tentáculos.
Separamos a cabeça e os tentáculos e colocamos numa panela de pressão com um pouco de água, a cebola em pedaços grandes, a cenoura em rodelas, o louro, as folhas de aipo e o sal. Fechamos e quando começou a ferver, abaixamos o fogo , deixando 15 minutos fervendo.
Deixamos esfriar um pouco e só abrimos a tampa, quando não tinha mais pressão. Retiramos o polvo e deixamos escorrer em uma peneira.


O polvo ficou macio e bastante saboroso. Como ele era muito grande, utilizamos a metade dele no ceviche e com a outra, fizemos um risoto aproveitando o caldo que ficou na panela. Tanto o caldo como o polvo podem ser congelados.



Ceviche de Polvo

-4 tentáculos de polvo cozido (em torno de 800g de polvo cru)
-1/2 pimentão vermelho cortado em juliana (tirinhas)
-1/4 de cebola roxa finamente fatiada e deixada de molho 15 min. em água gelada para diminuir a acidez
-salsa e cebolinha picadinhas a gosto, se preferir acrescente um pouco de coentro
-1/2 pimenta Dedo de Moça picadinha sem as sementes (não toque diretamente com as mãos na pimenta)
-2 colheres de sopa de suco de limão (de preferência o galego)
-1/3 de dente de alho bem esmagado
-azeite a gosto



Fatie os tentáculos do polvo, já frios, o mais fino possível e enviezado.
Misture todos os ingredientes e deixe apurar na geladeira por pelo menos 30 minutos.

Bom apetite!


domingo, 29 de agosto de 2010

Religiosamente, todo sábado de manhã, minha mãe vai à feira aqui perto da minha casa comprar legumes, frutas e verduras para as nossas saladas. Meu pai de vez em quando vai também e ele adora ver as variedades e comprar ingredientes diferentes.





Seu Manoel (na foto) é feirante de verduras e legumes da Rua Freu Leandro - Jardim Botânico. Todos os seus produtos vêm fresquinhos de madrugada de Teresópolis e por isso minha mãe compra na barraca dele.


Nosso tema da semana (não tem jeito, minha mãe não consegue mais fazer um final de semana não-temático) é sardinha. O nome é originário da ilha Sardenha, no Mar Mediterrâneo Ocidental, situada a oeste da Península Itálica, onde um dia as sardinhas já foram abundantes. Ela é muito rica em ômega 3, assim como o atum (quem não gostar de sardinha pode substituí-las por atum na salada) e o salmão. O ômega 3 é um lipídio muito importante para o coração. A sardinha também é uma excelente fonte de proteínas. Mesmo enlatada, ela não perde seus nutrientes e continua sendo altamente benéfica à saúde.


Aqui estão algumas receitas com esse delicioso peixe para quem não sabe como consumi-lo.

Salada Grega com Sardinha (Lagarta Light)

Já postamos uma que é parecida com essa, mas foi bem no comecinho do blog, quando eu ainda estava vegetariana (por causa de uma promessa que eu tinha feito), então minha mãe fez a versão sem peixe pra mim. Eu tinha prometido colocar depois a receita com sardinha e antes tarde do que nunca...

Salada Grega com Sardinha


- 1 pimentão vermelho
- 1/2 pimentão verde
- 1/2 pepino japonês
- 1/2 cebola escaldada ou não
- 2 tomates sem semente
- 100g de queijo minas
- 1 lata de sardinha (ou atum)
- azeitona preta a gosto
- salsinha picada a gosto

Molho:
- 4 col. de sopa de azeite
- 1 col. de sopa de vinagre
- 1/2 dente de alho
- 1/2 col. de chá de orégano
- 1/2 col. de chá de sal

Faça o molho e depois misture todos os ingredientes previamente picados.

Salada de Batata, Chuchu e Sardinha

Sabe o chuchu que você comprou, mas não usou? Aquele que está no fundo da geladeira estragando porque você não sabe o que fazer?

SEUS PROBLEMAS ACABARAM!

Brincadeiras à parte, aqui em casa ninguém é muito fã de chuchu por achar sem gosto e sem graça, mas nessa salada ele ganha vida e fica muito gostoso.


Salada de Batata, Chuchu e Sardinha


- 500g de batata
- 250g de vagem francesa
- 1 col. de sopa de alcaparra picada (ou azeitona a gosto)
- 2 chuchus pequenos
- 1 lata de sardinha (ou atum)

Molho:
- 1 col. de sopa de vinagre
- 1 col. de sopa de azeite
- 1 col. de chá de mostarda de Dijon
- 1/3 de dente de alho
- sal e pimenta a gosto
- salsinha picada a gosto

Descasque as batatas, corte-as em pedaços médios e coloque em uma panela com água, sal e 1 col. de sopa de vinagre. Cozinhe até ficarem macias, mas ainda firmes e depois reserve.
Descasque os chuchus, lavando-os para tirar a sica. Corte-os em pedaços de tamanho semelhante ao da batata. Cozinhe-os em água e sal até ficarem macios e ainda firmes também. Escorra-os e reserve.
Cozinhe as vagens no vapor retirando previamente os cabinhos. Quando estiverem cozidas, retire-as do fogo e coloque em uma bacia com água gelada para interromper o cozimento e evitar que fiquem muito moles. Depois de escorrer, corte em 3 pedaços e reserve.

Misture todos os ingredientes do molho e então adicione os outros ingredientes (chuchu, batata, vagem, alcaparra e sardinha). Misture tudo, mas com cuidado para não desmanchar as batatas e as sardinhas.

Obs.: Hoje no almoço fizemos esse prato no forno com azeitona e ovo cozido. Ficou muito bom também.

domingo, 8 de agosto de 2010

Salada de Gorgonzola com Pera e Nozes

Feliz dia dos pais!
Para comemorar esse dia tão especial, fizemos a salada de gorgonzola com pera que eu tinha falado que era uma delícia. O almoço foi ótimo e além dessa salada, ainda fizemos uma caprese para minha prima apaixonada por tomates ficar feliz.

O desenho foi a minha irmã que fez para o meu pai, deles dois juntos.

Espero que todos tenham tido um ótimo dia dos pais.


Salada de Gorgonzola com Pera e Nozes


- alface americana e romana
- 30g de nozes picadas
- meia pera por pessoa (madura, mas ainda firme)

Molho:
- 60g de queijo gorgonzola
- 60g de creme de leite fresco
- 5 col. sopa de água (isso pode variar de acordo com a consistência do creme de leite)
- 3 col. sopa de azeite
- sal a gosto

Para fazer a pera, descaque-as, retire as sementes e corte-as em gomos. Coloque em uma panela com um pouquinho de água (não chega a cobrir as peras) e 1 col. de sobremesa rasa de açúcar. Deixe cozinhar em fogo baixo por 7 - 10 min (isso depende de quão firme estiver a pera). Cuidado para não secar totalmente a calda. As peras devem ficar macias e claras.

O molho é muito simples de fazer. Adicione todos os ingredientes no liquidificador e pulse até ficar homogêneo. Cuidado para não bater demais e talhar, virando manteiga de gorgonzola. Isso realmente aconteceu quando minha mãe fez na primeira vez.

Antes de montar a salada no prato, envolva a alface com parte do molho. Depois arrume as folhas em uma travessa e regue com mais um pouco do molho. Salpique as nozes por cima e coloque as peras em volta.

domingo, 25 de julho de 2010

Cogumelos

Cogumelos não são vegetais, eles fazem parte de um reino diferente: os fungos.

Eles possuem grande quantidade de proteína com traços de minerais e vitaminas. Especialmente o shitake, contém grande quantidade de potássio com 2500 mlg em 110 g, enquanto os outros cogumelos fornecem apenas 300 mlg na mesma quantidade.

Além de fontes de vitaminas, minerais e proteínas, os cogumelos ainda ajudam a diminuir o colesterol, reforçando a imunidade e dando alguma proteção contra alguns tipos de câncer.

Eles tem poucas calorias e sódio, mas são contra-indicados para pessoas que sofrem de hiperuricemia (presença alta de ácido úrico no sangue) e cálculos urinários.

Preferencialmente, não os coma crus, pois contém toxinas que o cozimento destrói.

Postamos duas receitinhas com cogumelos para quem não souber como consumi-los, já que fazem tão bem à saúde e são deliciosos.

Salada de Shitake

Essa salada é criação da minha mãe e fico feliz por ela ter que testar algumas vezes até definir a receita definitiva para colocar no blog, pois isso significa que tive que provar várias vezes e eu amei essa salada. Eu como uma "viciada" em shitake não tinha como não gostar...

Salada de Shitake


- 2 bandejas de shitake (1 cogumelo grande por pessoa)
- folhas variadas
- 2 fatias de pão italiano em cubinhos
- 3 funghi secos já hidratados e bem picados
- cebolete
- queijo tipo grana ou parmesão
- 1/2 dente de alho bem picadinho
- azeite a gosto
- sal e pimenta a gosto

Fritar os cogumelos inteiros com azeite e depois fatiar em 6 pedaços. Colocar sal, pimenta e alho na frigideira e deixar dourar um pouco. Depois tranferir para uma tigela, juntando a cebolete picada. Aproveitar a mesma frigideira colocando mais um pouco de azeite e juntando o cubinhos de pão com o funghi. Deixar dourar e reservar.

Em uma tigela colocar as folhas e os shitakes, regar com azeite e misturar. Temperar com sal e pimenta e distribuir em pratos individuais. Colocar o queijo (fatiado com descascador de legumes ou ralado com ralo grosso) por cima e salpicar os cubinhos de pão com funghi.
Bom apetite!

Cogumelos Recheados

Na minha opinião, a salada aqui seria dispensável, mas para o bem da minha consciência, acrescentamos umas folhinhas, pois adoro esse cogumelo.

Cogumelos Recheados


- Cogumelos paris tamanho médio
- 2 col. de sopa de queijo cottage
- 2 tomates secos picadinhos
- sal e pimenta a gosto

Retire os talos dos cogumelos e emborque-os em um tabuleiro com papel alumínio por baixo. Coloque um pouco de sal e reserve. Misture o queijo com o tomate seco, temperando a gosto e recheie os cogumelos. Leve ao forno (previamente aquecido) por 20-30 min. Sirva com uma saladinha verde.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Salada Waldorf




A clássica Salada Waldorf foi criada na virada do século passado pelo maître - d'hotel Oscar, no Hotel Waldorf de Nova York.
Hoje em dia existem diversas adaptações desse clássico. Muitos já inventaram e reinventaram em cima dela.





Salada Waldorf


- 1 xic. de maçã verde picada
- 1 xic. de talos de aipo (salsão) picado
- 1/4 de xic. de nozes
- 1/4 de xic. de passas
- 1/4 de xic. de maionese light (para um molho mais leve usar maionese light com creme de leite fresco, na proporção de 1:1)

Misture todos os ingredientes e deixe na geladeira por 1 hora antes de servir (ela fica mais gostosa gelada).


Usamos algumas folinhas de endívia que sobraram da salada de Endívia com Molho de Gorgonzola para fazer barquetinhas de endívia com Salada Waldorf.


A salada Waldorf é servida hoje no hotel com esse formato, mas eles usam vinagrete com trufas pretas ao invés de papoula.

Endívias com Molho de Gorgonzola

Apesar de eu não gostar de fruta na salada de um modo geral, adoro salada com pera. Ainda mais com molho de gorgonzola. Além dessa, tem uma outra receita que também leva essa combinação. Vou sugerir à minha mãe para a gente fazer em breve, pois assim como essa, é uma delícia.

Endívias com Molho de Gorgonzola


- 3 endívias lavadas e secas
- 2 peras em fatias e com casca
- salsinha a gosto picada grosseiramente
- estragão a gosto picado grosseiramente
- nozes a gosto para salpicar
- pequenos pedaços de gorgonzola para salpicar

Molho:
- 50g de queijo gorgonzola
- 50g de creme de leite fresco
- 1 col. de sopa de vinagre de maçã
- 5 col. de sopa de azeite
- 6 col. de sopa de água
- sal e pimenta a gosto

Bater os ingredientes do molho por 15 segundos no liquidificador. Depois misturar as endívias, as peras e as ervas. Colocar um pouco de molho para envolver. Arrumar nos pratos individuais e regar com mais um pouco de molho. Enfeitar com as nozes e os pedacinhos de queijo.

Mozzarella de Búfala no Azeite

Sabe aquela mozzarella que sobrou depois de fazer uma salada e que vai ficar estragando na geladeira? Uma ótima solução é colocá-la no azeite com temperos, pois assim ela não estraga tão rapidamente e fica uma delícia para comer com pão, ou colocar em outra salada também. Mas também não precisa ser feito só com sobra de mozzarella. Gostamos tanto aqui em casa que minha mãe usou o pote todo de mozzarella e fez um vidrão.

Mozzarella de Búfala no Azeite


- 1 pote de 250g de mozzarella de búfala tipo bolinhas (o mais fresco possível) previamente escorridas
- 1 xic. de azeite
- 1/2 dente de alho
- 1/2 col. de chá de sal
- pimenta do reino a gosto
- pimenta caalbresa a gosto
- 2 col. de chá de orégano

Misturar todos os ingredientes do molho. Envolver as mozzarellas com ele e colocar em um vidro. Preencher com azeite até cobrir todas as bolinhas. Deixar apurar na geladeira pelo menos por 1 semana.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Afinal, o que é um tomate?

Para fechar nossa temporada do tomate, resolvi responder essa questão que está no ar há muito tempo. Achei que tivesse resolvida com a resposta: tomate é um fruto. Mas o que é um fruto? Bom, vamos esclarecer algumas coisas...
fruto: 1. (bot.) órgão gerado pelos vegetais floríferos, e que conduz a semente, carpo.
2. fruta
Então, botanicamente falando, o tomate é realmente um fruto.
Eu adoro essa série de vídeos e mal podia esperar uma oportunidade para colocar no blog, afinal, é sobre uma laranja irritando diversos vegetais (e outras coisas de vez em quando). Eu adoro e já vi todos...


video

Se a qualidade estiver ruim, ou quiserem ver os outros vídeos, tá aqui o link do youtube:

Salada com Chutney de Tomate

O chutney é tão bom que minha mãe fez um molho com ele. Uma delícia.

Salada com Chutney de Tomate


- Frango cozido e desfiado grossamente a gosto
- Amêndoas picadas e torradas a gosto

Molho:
- 2 col. de sopa de chutney de tomate
- 3 col. de sopa de azeite
- 3 col. de sopa de óleo de milho
- 6 col. de sopa de água
- 1 col. de sopa de vinagre de vinho branco (opcional, só se o chutney estiver muito doce)

Bata com um batedor manual e reserve.

Arrume as folhas em um prato, coloque o frango e depois o molho e por último salpique com as amêndoas e sirva imediatamente.

Obs.: tomate cozido misturado com óleo/azeite garante a absorção de licopeno.

Bom apetite!

Chutney de Tomate

Saímos um pouquinho do tema saladas, mas só para finalizar a temporada de tomate. Adoro esse chutney e achei ótimo minha mãe querer colocar no blog, pois assim ela precisou fazer de novo.

Chutney de Tomate


- 3 a 4 dentes de alho
- 1 pedaço (de aproximadamente 3cm) de gengibre picado
- 250ml de vinagre de vinho branco
- 1kg de tomate
- 200g de açúcar cristal (se o tomate estiver muito maduro, coloque somente 180g)
- 1 1/2 col. de chá de sal
- 1 pequena pitada de pimenta calabresa
- 2 col. de sopa de passas brancas
- 2 col. de sopa de amêndoas sem pele e picadas

Tire a pele e as sementes dos tomates e reserve. Bata no liquidificador o alho, o gengibre e 1 xic. de vinagre. Numa panela coloque a pasta de alho e gengibre, os tomates, o vinagre, o açúcar, o sal e a pimenta. Deixe ferver em fogo baixo, com a panela tampada por 1 hora, mexendo de vez em quando.
No final acrescente as passas e as amêndoas e deixe cozinhar por mais 5 minutos ou até dar o ponto de geleia ou a mistura desprenda da panela.
Se quiser guardar por mais tempo, freva um pote de vidro (a tampa também) e depois coloque o chutney ainda quente. Tampe, vire de cabeça para baixo e deixe esfriar.

terça-feira, 22 de junho de 2010

E a revolta continua...


Ficamos tanto tempo sem receitas com tomate que apenas uma postagem não foi suficiente para divulgar todas as saladas.

Minha prima é que iria adorar essa revolta, pois é a pessoa mais apaixonada por tomate que eu conheço. Não se pode deixar um prato com tomates na frente dela, que quando for servir já não estará mais lá. Ela adora comer tomate cereja vendo televisão, como pipoca.




Recebemos algumas respostas para o porquê do nome "Caprese". É originário da ilha de Capri, no sul da Itália, pois é lá que são produzidos os ingredientes mais frescos e saboros para a preparação desse prato. Agradecemos aos e-mails com a explicação.

Tomate com Tomate

Inspirada na receita de salada "Tomates da Mãe" de Jamie Oliver. Foi sugestão de uma de nossas leitoras. Agradecemos à contribuição e por favor continuem mandando receitas sempre que possível...

Salada de Tomate com Tomate


- 1kg de tomates variados (usamos 4 tipos diferentes) bem maduros
- sal e pimenta a gosto
- 1 col. de chá de orégano
- folhas de manjericão fresco rasgadas
- mozzarella de búfala grande

Molho:
- 4 col. de sopa de azeite
- 1 col. de sopa de aceto balsâmico
- 1/2 dente de alho amassado
- 1 pimenta dedo de moça picada (opcional)

Fatie os tomates grandes e corte os pequenos ao meio ou em quatro. Coloque os tomates em um escorredor e tempere com uma boa pitada de sal. Misture e deixe escorrer o excesso de líquido. Deixe por no mínimo 15 min. Isso irá deixar o sabor do tomate mais concentrado.
Coloque os tomates em uma tigela e acrescente o molho, o orégano e o manjericão. Verifique o sal.

Sirva com a mozzarella ao lado decorada com a pimenta e com uma fatia grelhada de pão italiano ou ciabatta.

OBS.: Provamos a salada fresca e 4 horas depois. O sabor ficou ainda mais apurado. Uma delícia!

Caprese com Crosta

Apesar de a parte que torrar o pão ser um pouquinho chata, pelo que pude perceber da minha mãe fazendo, vale muito a pena experimentar, pois é uma delícia. Dessa vez eu que me dei bem, porque minha mãe que fez e eu só comi (pra compensar eu ter montado a Caprese semana passada).

Caprese com Crosta


- 4 tomates
- 2 mozzarellas de búfala grandes em fatias
- farinha de rosca (se possível da grossa)
- azeite (para fritar)
- sal a gosto

Pesto:
- folhas de manjericão
- pinolis (ou nozes)
- queijo parmesão ralado na hora
- 1 dente de alho
- azeite (o suficiente para bater)

Fatiar os tomates descartando as estremidades (total de 3 fatias). Intercalar as fatias com as fatias de mozzarella de búfala e um pouco de sal, fazendo uma torre.
Apertar as fatias de cima para baixo na farinha de rosca.
Colocar sobre uma frigideira já bem aquecida e com azeite. Tostar um pouco de cada lado e pousar sobre um prato com um pouco do pesto.
Decorar com uma folhinha de manjericão.

Para o pesto: Bater todos os ingredientes no liquidificador. Cuidado para não ficar ralo. Colocar azeite o suficiente para bater (cuidado para não exagerar, pois não fica tão gostoso. Nós colocamos um pouco demais no nosso...).

Tomate em Gomos

Essa salada com um pão italiano para mergulhar no caldinho... nada melhor. Minha mãe ainda tomou vinho para acompanhar, mas como eu não gosto, fiquei na água mesmo.

Tomates em Gomos


- 6 tomates maduros

Molho:
- 5 col. de sopa de azeite
- 1/3 de dente de alho
- 3 col. de chá de alcaparra picada
- salsinha picada a gosto
- sal e pimenta a gosto
(se não gostar de alcaparra, substitua ela e a salsinha por manjericão que fica ótimo)

Tire a pele dos tomates e corte cada tomate em 8 gomos deixando as sementes. Misture todos os ingredientes do molho e junte os tomates. Deixe pelo menos 4 horas na geladeira. Irá criar bastante líquido, mas que fica muito gostosa para comer com salada de folhas ou pão.